ACÓLITOS DA PARÓQUIA SANT'ANA - COORDENAÇÃO CARLOS DANIEL

ACÓLITOS DA PARÓQUIA SANT'ANA - COORDENAÇÃO CARLOS DANIEL

PAPA FRANCISCO

PAPA FRANCISCO

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA - Clique na imagem

DIRETOR PROVINCIAL SALVATORIANO

DIRETOR PROVINCIAL SALVATORIANO
Pe. Álvaro Macagnan

domingo, 5 de março de 2017

ELEITA NOVA COORDENAÇÃO DO GRUPO DE ACÓLITOS



Foram empossados no último dia 22/01/2017, para o núcleo de coordenação do Grupo de Acólitos São Tarcísio, da Paróquia Sant'Ana de Coeho Neto-MA, os seguintes membros:

CARLOS DANIEL - Coordenador Geral
RAFAEL LUIZ - Vice-coordenador 
CÍNTIA ROMANA - Secretária. 
EDUARDA LEARTE - Tesoureira.

Eles prometeram assumir a responsabilidade pelo zelo, pela ordem do nosso grupo e prometeram ainda cumprir e fazer cumprir as Regras e Deveres que o rege. Juntamente com todos os membros, eles almejam exercer um excelente pleito coordenativo e esperam o apoio de todos. 

Desejo que a atual coordenação desempenhe um bom e satisfatório trabalho perante esta missão a eles confiados.

Que Deus os abençoe, os conduza e que nosso Padroeiro São Tarcísio interceda por cada um de nós.

Fraternalmente:
José Leandro
Conselheiro 

MISSA DE ABERTURA DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017

Quarta-feria de cinzas, 1º de março de 2017, às 18h, na Igreja Matriz, aconteceu a Missa de abertura da CF 2017 – com o tema: “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida” e o lema “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2.15), presidida pelo Pároco Padre James Oliveira-sds, que em sua homilia convocou a todos para reflexões sobre a nossa relação com a criação, despertando assim para o cuidado e preservação da natureza.

Também, ao término da celebração, foi ralizada a imposição  das cinzas, que somos pó e que ao pó da terra voltaremos (cf. Gn 3, 19) para que nosso corpo seja refeito por Deus de maneira gloriosa para não mais perecer.

Este sacramental tem como intenção levar-nos ao arrependimento dos pecados, marcando assim o início da Quaresma, lembrando da mesma forma que não podemos nos apegar a esta vida achando que a felicidade plena possa ser construída aqui. A morada definitiva é o céu.

FOTOS: IRAYNA MARQUES E MARIA SUELY.



























quarta-feira, 1 de março de 2017

SIGNIFICADO DA QUARTA-FEIRA DE CINZAS



Quarenta dias antes da Páscoa, a Igreja abre solenemente o tempo de penitência, chamado Quaresma, em preparação para a celebração da Páscoa. É a Quarta-feira de Cinzas, entre nós bastante prejudicada pelo carnaval.

Neste dia, após a Liturgia da Palavra, em que se proclama o trecho do Evangelho em que Cristo recomenda a oração, o jejum e a esmola como exercícios de conversão (cf. Mt 6,1-18), realiza-se o rito da imposição das cinzas. Elas são sinal de penitência, no sentido de conversão. A conversão consiste, sobretudo, no reconhecimento de nossa condição de criaturas limitadas, mortais e pecadoras. No gesto de imposição das cinzas sobre a cabeça das pessoas, o sacerdote ou o ministro diz: “Convertei-vos e crede no Evangelho”. A conversão consiste em crer no Evangelho. Crer é aderir a ele, viver segundo os ensinamentos do Senhor Jesus. Pode-se usar também a fórmula tradicional: “Lembra-te que és pó e ao pó hás de voltar”. Numa das orações de bênção das cinzas se diz: “Reconhecendo que somos pó e que ao pó voltaremos, consigamos, pela observância da Quaresma, obter o perdão dos pecados e viver uma vida nova, à semelhança do Cristo ressuscitado”.

A origem das cinzas usadas tem seu significado. Elas são preparadas pela queima de palmas usadas na procissão de Ramos do ano anterior. Lembram, portanto, o Cristo vitorioso sobre a morte. A palma é símbolo de vitória e de triunfo. Assim, se os cristãos aceitam reconhecer sua condição de criaturas mortais, e transformar-se em pó, ou seja, passar pela experiência da morte, a exemplo de Cristo, pela renúncia de si mesmos, participarão também da vida que ressurge das cinzas.

Aqui vale a pena lembrar uma lenda egípcia. Fênix era uma ave fabulosa que durava muitos séculos e, queimada, renascia das próprias cinzas. Foi fácil perceber que ela é símbolo da ressurreição de Cristo e dos que aceitam viver na atitude de Cristo.

Certamente não é fácil aceitar ser cinza. Contudo, a fé em Jesus Cristo ressuscitado faz com que a vida renasça das cinzas. Jesus Cristo faz brotar a vida, onde o ser humano reconhece sua condição de criatura necessitada da ação de Deus. É entrar na atitude pascal.

Esta páscoa se vive na conversão, através dos exercícios da oração, do jejum e da esmola.
A imposição das cinzas não constitui um mero rito a ser repetido a cada ano. É celebração da vocação do ser humano, chamado à imortalidade feliz, contanto que realize o mistério pascal de morte e vida em sua vida fraterna.

Texto de “Viver o Ano Litúrgico – Reflexões para os domingos e solenidades”, de Frei Alberto Beckhauser, Editora Vozes.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

PAROQUIANOS PARTICIPAM DA ESCOLA DE FORMAÇÃO TEOLÓGICA

Diocese de Brejo.

Paroquianos da Paróquia Sant'Ana participaram da Primeira Etapa da Terceira Escola de Formação Teológica, no Centro Diocesano de Pastoral, em Brejo (MA).

Participaram cerca de oitenta e sete pessoas das várias paróquias da nossa Diocese.

Participantes de Coelho Neto:
- Irayna Marques
- Ronaldo Oliveira
- Daylane Pinho
- Maura
- Maria Rayane


FOTOS: IRAYNA MARQUES



















PASTORAL DA LITURGIA CELEBRA ENCERRAMENTO DE TRABALHOS ANUAIS

A equipe da Pastoral da Liturgia da Paróquia Sant'Ana reuniu-se para comemorar a finalização de mais um ano de trabalhos pastorais.

Na Paróquia, a Pastoral da Liturgia é responsável pela preparação de todas as Celebrações Eucarísticas ao longo do Ano Litúrgico. 

Continuem sempre dispostos a servir.

A unidade da Igreja não é uniforme, mas comunhão na adversidade: “Muitos membros unidos num só corpo.” (1Cor 12,12)

Fotos Irayna Marques.