PADRE JAMES E MINISTROS

PADRE JAMES E MINISTROS

PADRE JAMES E ACÓLITOS

PADRE JAMES E ACÓLITOS

PAPA FRANCISCO

PAPA FRANCISCO

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA - Clique na imagem

DIRETOR PROVINCIAL SALVATORIANO

DIRETOR PROVINCIAL SALVATORIANO
Pe. Álvaro Macagnan

domingo, 30 de dezembro de 2012

BEM-VINDOS, MISSIONÁRIOS SALVATORIANOS!

Estão visitando nossa Paróquia e, claro, celebrando as Santas Missas, os Padres Flávio e Antonio Neto. Ambos já prestaram belos trabalhos em nossa comunidade, animando, fortalecendo e reavivando a fé dos fiéis. Sejam bem-vindos, padres!



quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Votos Perpétuos de Ir. Vanúcia Souza da Silva




Fonte: http://www.salvatorianas.org.br/noticias.php?id=64#.Q7fSoWFLtJE
Dia 16 de dezembro de 2012, a Ir. Vanúcia Souza da Silva, fez sua profissão definitiva junto ao povo de sua terra natal, na Igreja matriz Senhora Santana, em Coelho Neto/MA. Em preaparação a esse dia aconteceu a Semana Missionária Vocacional com a presença de Irmãs, leigos de diversos lugares do Brasil.
Parabéns Ir. Vanúcia por seu generoso SIM no seguimento radical de Jesus, a serviço do proximo!

Palavras proferidas pela Ir. Vanúcia no dia em que fez sua profissão definitiva:

“Como barro nas Mao do Oleiro, assim estão vocês em minhas mãos”. (Jer 18,6)
É verdade pai, mãe, irmãs, padres e comunidade aqui reunida, foi assim que eu me senti durante esses 12 anos de caminhada e discernimento vocacional. Fui percebendo as mãos de Deus moldando a minha vida e, como ele trabalhou para que eu chegasse até aqui, dando meu sim para sempre no seu seguimento. Por isso rendo graça a Deus pela vida que me concede a cada dia, por ter me sustentado diante das dificuldades. Louvo e bendigo ao Senhor da Vida pela coragem de meus pais de ter me colocado nas mãos de médicos e assim preservar minha vida.  Obriga divino Oleiro por tantas vezes ter me modelado, pois aqui estou para da continuidade a essa modelação. Aos padres por ter me apresentado às irmãs salvatorianas. Minha gratidão as Irmãs que me acolheram na congregação e tantas vidas doadas a meu favor, em prol do meu crescimento psíquico-espiritual e humano. Irmãs que durante a etapa de formação como o aspirantado (Teresinha Bianchet e Sandra), no postulantado Ir. Zenaide e Ir. Romana, noviciado Maria Marlene, Teresinha Salvi e Ema Melânia e as minhas co-irmãs Maria Jovelina, Janice e Talita que juntas fizemos essa caminhada.  Obrigada aos leigos salvatorianos que também muito contribuíram na continuidade do discernimento no seguimento de Jesus salvador.  Meu muitíssimo obrigada a toda equipe missionária que se colocaram a disposição de vir de tão longe e me ajudar nessa semana vocacional missionária.  A minha comunidade e todas as irmãs salvatorianas que de uma forma ou de outra contribuíram para que hoje estivéssemos aqui. Desde a preparação que iniciou lá em janeiro com o retiro de 30 dias, até as diversas oportunidades formativas.

Tu me chamaste:

Tu me chamaste como a tantos teus amigos para seguir o teu projeto, teu caminho. A tua voz uma serena melodia, com a tua força fui sem medo de arriscar. Tu me olhaste com afeto e ternura. Me seduziste com o brilho e o encanto. Eu aprendi a olhar a vida com teus olhos e enxerguei a vida nova do teu povo.
Em tuas mãos Senhor a minha vocação e todos os momentos da vida. Em tuas mãos Senhor a minha vocação segredo e o meu coração. 

Tu me tocaste, foi um gesto de carinho, para curar as minhas dores e doenças, a mão que molda o meu corpo é a mesma que me aponta o rumo certo do caminho.
Tu me amaste apesar dos meus defeitos, me entreguei a teus apelos sem medida e descobri que os problemas tem saída e ensaiei com minha gente um canto novo

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

PASTORAL DA MÚSICA PROMOVE EVENTO NATALINO

O Coordenador da Pastoral da Música da Paróquia Sant'Ana, Geraldo Tavares, convida você para prestigiar o Musical de Natal 2012. Participe deste momento ímpar, que é um presente especial para você. 


quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Coelho Neto terá jogo beneficente com a presença dos melhores jogadores de Futsal do Brasil.


Esta

Tudo confirmado para mais um Jogo Beneficente com a presença dos jogadores da escolinha de Futsal do Craque Falcão da Seleção Brasileira. Também contaremos com os melhores jogadores de Futsal do Brasil Adulto entre eles Clemiltom ex-jogador da Seleção Brasileira de Futsal e jogadores convidados do Cajuína, time este que em 2013 participará da elite do Futsal Brasileiro com presença na Taça Brasil de Futsal da Primeira Divisão equivalente ao campeonato nacional.

O Jogo Beneficente será realizado com duas partidas, a primeira será um confronto Sub-17 entre os melhores jogadores de Futsal de Coelho Neto com os jogadores da Escolinha do Falcão. A segunda partida será também entre os melhores jogadores de Futsal de Coelho Neto e o Time adulto da própria escolinha e seus convidados entre eles vários atletas do time Cajuína.

Os jogos acontecerão no Ginásio Uiran Sousa no dia 21 (sexta – feira) às 19h, entrada dois quilos de alimentos (diferenciados ex: um quilo de arroz; outro um quilo de feijão) não perecíveis.

Os alimentos serão destinados para o Movimento Conferencia Sant`Ana os Vicentinos, que trabalha com famílias carentes de Coelho Neto.

Realização e Organização: Geraldinho Tavares, Francisco Filho (Chicão) CEUS e Farinha do Grêmio. 



Contamos com sua presença!





sábado, 8 de dezembro de 2012

IRMÃS SALVATORIANAS FARÃO PROFISSÃO DEFINITIVA


A Irmã Jovelina, de Duque Bacelar e a Irmã Vanúcia, de Coelho Neto têm a alegria de noticiar que suas profissões perpétuas acontecerão nos dias 15 e 16 de dezembro, respectivamente, conforme programação contida no convite em epígrafe.

Estas suas entregas definitivas são motivos de júbilo e ação de graças para toda a Congregação Salvatoriana e para toda a Igreja.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

HINO DA FÉ



Fonte: CNBB

Após um cuidadoso trabalho de tradução e revisão, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulga a versão oficial do Hino da Fé para o Brasil. Trata-se de uma iniciativa das Comissões Episcopais Pastorais para a Liturgia e para a Doutrina da Fé, para que a canção seja usada pela Igreja no Brasil durante este Ano da Fé.

Clique aqui para conhecer a letra e as partituras do Hino Oficial do Ano da Fé.

A seguir, reproduzimos o texto enviado pelas comissões, com um breve comentário sobre a canção.
CREIO, Ó SENHOR!
Breve comentário ao hino do Ano da Fé

Conhecemos bem o quanto a música e o canto são importantes para a compreensão e o aprofundamento das ideias, e o quanto são úteis para a divulgação de campanhas e de projetos. Seguindo o convite do Santo Padre, “queremos celebrar este Ano de forma digna e fecunda” (PF, 8). Por isso, o Ano da Fé não poderia ficar sem seu hino. Dele esperamos que ajude a marcar este “tempo de particular reflexão e redescoberta da fé” (PF, 4).

Divulgado pelo Pontifício Conselho para a Nova Evangelização, o hino circulou rapidamente pela internet, inclusive em uma versão portuguesa. Os assessores das Comissões Episcopais Pastorais para a Liturgia e para a Doutrina da Fé prepararam esta versão brasileira. Depois de avaliada pelos presidentes dessas Comissões e pelo Secretário Geral da CNBB, tornamos pública, para que seja usada pela Igreja no Brasil durante este Ano da Fé.

A súplica do pai que apresentou seu filho para ser curado por Jesus – “Eu creio, mas aumentai a minha fé” (Mc 9,24) – é assumida por todos nós. Desse modo, o hino é um grande pedido pela renovação e pelo crescimento da fé. Há uma particularidade a ser notada: a primeira parte da súplica está no singular: “creio, ó Senhor”.  E a segunda parte está no plural: “aumenta nossa fé”. Assim se destacam os vários aspectos da fé, que são aprofundados pelo Papa no número 10 da Porta Fidei: ao mesmo tempo ela é pessoal e eclesial, é um ato pessoal e tem conteúdo “objetivo”.

Outro elemento que se destaca pela repetição é a expressão “caminhamos”, que ocorre no início de cada estrofe. Na mesma Porta Fidei, Bento XVI nos recorda que, uma vez atravessado o limiar da porta, por meio do batismo, abre-se diante de nós um caminho que dura a vida toda e que se conclui com a passagem para a vida eterna (PF, 1). O povo brasileiro se identifica muito com as romarias, peregrinações, procissões e caminhadas. Elas são um símbolo da peregrinação espiritual que toda a nossa existência cristã: “não temos aqui cidade permanente, mas andamos à procura da que está para vir” (Hb 13,14). O modo como caminhamos é destacado de modo diferente a cada nova estrofe: cheios de esperança, frágeis e perdidos, cansados e sofridos, sob o peso da cruz, atentos ao chamado, com os irmãos e as irmãs. É um caminho feito em companhia, desafiador, é certo, mas dirigido pelas marcas dos passos de Nosso Senhor, como bem recorda a estrofe 4.

O caminhar da Igreja é marcado, portanto, pelos mistérios da vida de Cristo, reflexos do grande Mistério Pascal. Na sequência, nos são recordados: o Advento, o Natal, a Quaresma, a Páscoa, Pentecostes e o Reino definitivo. Do mistério do Filho de Deus feito homem é que a Igreja vive permanentemente. É a comunhão com Ele que orienta e anima toda a caminhada eclesial ao longo da história e, na grande comunhão dos santos, é também o que anima cada um dos fieis, pessoalmente.

Alguns títulos de Cristo são evocados, junto com os mistérios. Filho do Altíssimo, estrela da manhã, mão que cuida e que cura, o Vivente que não morre, Palavra, esperança da chegada. Desse modo o Mistério do Filho de Deus feito nosso irmão impregna toda a existência dos cristãos, na Igreja. Assim ele nos anima no caminho e nos conduz para a meta.

Esse caminhar é feito em companhia. Como companheiros são recordados, na sequência das estrofes: os Santos que “caminham entre nós”, Maria, “a primeira dos que creem”, os pobres que “esperam à porta”, os humildes que “querem renascer”, a Igreja que “anuncia o Evangelho”, o mundo, no qual se encontram sinais do Reino que “está entre nós”. Esta grande companhia de fé nos permite muitas e profundas reflexões: a comunhão dos santos, o significado da presença da Mãe de Jesus na vida da Igreja, os pobres, nos quais podemos servir ao próprio Cristo e pagar-lhe amor com amor, o espírito das bem-aventuranças expresso nos “humildes”. Como resume a última estrofe, trata-se da companhia de fé, de esperança e de amor que é a Igreja.

A consciência de que o hino expressa a súplica da Igreja que quer ser renovada na fé é expressa nos termos com os quais se conclui cada estrofe: pedimos, oramos, invocamos, suplicamos, rogamos, clamamos. A renovação eclesial e o impulso para a nova evangelização, objetivos principais do Ano da Fé (PF, 7-8), não serão alcançados simplesmente por nosso esforço. São dons da graça divina, que devemos suplicar com humildade e buscar com toda energia.

Valha-nos sempre a proteção da Virgem Maria, bem-aventurada porque acreditou (Lc 1,45).

domingo, 25 de novembro de 2012

NOVENA DO NATAL

Para se começar a rezar no dia 16 de dezembro

1 – Eterno Pai, eu vos ofereço para vossa honra e glória e para minha salvação, os sofrimentos da Santíssima Virgem Maria e de São José na longa e penosa de jornada de Nazaré a Belém; e a angústia de seus corações por não acharem onde hospedar-se quando se aproximava o nascimento do Redentor do mundo.

Glória ao Pai.

2 – Eterno Pai, eu vos ofereço para vossa honra de glória e para minha salvação, o presépio em que Jesus Cristo nasceu, as palhinhas que lhe serviram de berço, o frio que sofreu, as mantilhas em que foi envolvido, as lágrimas que derramou e os seus ternos gemidos.

Glória ao Pai.

3 – Eterno Pai, eu vos ofereço para Vossa honra de glória e para minha salvação, a humildade, mortificação, paciência, caridade e todas as virtudes de Jesus Menino e vos agradeço, amo e bendigo constantemente por este inefável mistério da Encarnação do Verbo Divino.

Glória ao Pai.

LITURGIA DO NATAL

 

Fonte: http://soucatequista.com.br/a-liturgia-do-natal.html

É no ano 336 que temos a primeira notícia da Festa do Natal, ocorrida em Roma. Por intermédio de Santo Agostinho, temos conhecimento de que essa festa era celebrada no século IV também na África. Também na Espanha, no final do século IV, o Natal já era celebrado.
 
A data 25 de dezembro não é confirmada historicamente como oficial ao nascimento de Jesus. Segundo estudiosos, a explicação mais provável nasce na tentativa de a Igreja de Roma suplantar a festa pagã do “Natalis (solis) incicti”.

Foi no século III que se difundiu no mundo greco-romano o culto ao sol. Foi o Imperador Aureliano (275 d.C.) que deu a esse culto uma importância oficial. Assim, o culto ao sol tornou-se um símbolo da luta pagã contra o Cristianismo. A data principal dessa festa era 25 de dezembro. Era celebrada no solstício 1 de inverno e representava a vitória anual do sol sobre as trevas. Visando purificar essa celebração pagã, a Igreja deu a ela um significado diferente, tendo como base uma rica temática bíblica: Lucas 1,78; Efésios 5,8-14. Enquanto celebrava-se o nascimento do sol, a Igreja apresentou aos cristãos o nascimento do verdadeiro Sol: Cristo, que apareceu ao mundo após longas noites de pecado.

Celebrar o Natal é celebrar o Sol da Vida, que nos ilumina com Sua graça salvadora. É a Luz de um novo tempo que nasce em nosso coração e deseja fazer morada definitiva em nós.

São Leão Magno, em seu “Sermão de Natal”, escreve: “O Natal do Senhor não se apresenta a nós como lembrança do passado, mas o vemos no presente”. Fazemos memória presente do nascimento de Cristo em meio à nossa frágil humanidade. Natal não é festa de uma ideia, mas é a festa que celebra a nossa salvação. A Festa do Natal é o ponto de partida para nossa salvação realizada por Cristo.

O Tempo do Natal começa com as primeiras Vésperas do Natal e termina no domingo depois da Epifania (entre 2 e 8 de janeiro). Interessante ressaltar que a Liturgia do Natal do Senhor se caracteriza por quatro Celebrações da Eucaristia, assim distribuídas:

1 – Na tarde do dia 24 se celebra a Missa vespertina . Esta Missa tem caráter festivo, com o canto do Glória e a Profissão de Fé.

2 – Na noite de 25, em geral à meia-noite, celebra-se a primeira Missa do Natal do Senhor.

3 – Ao alvorecer se celebra a segunda Missa do Natal.

4 – Durante o “dia” de Natal se celebra a terceira Missa da festividade.

A solenidade do Natal prolonga sua celebração por 8 dias contínuos, conhecidos como: Oitava do Natal.

DINÂMICA DA ROSA


 Publicado em 14/03/2011 • Canal: Dinâmicas


Materiais: uma flor (rosa) natural
Procedimento: fazer um círculo, e cada integrante retira um pedacinho da flor, ao final sobrará apenas o talo da flor. O monitor da dinâmica questiona o que aconteceu? Será que podemos consertar o que fizemos? Essa dinâmica pode ser trabalhada com os pequeninos, a fim de preservar os materiais dentro da sala de aula, ou preservar o próprio meio ambiente.

DINÂMICA DA FLOR

Publicado em 07/11/2012 • Canal: DinâmicasNenhum Comentário
 

Material: flores feitas de folha de ofício e uma bacia com água.
*Colocar as folhas na bacia com água, a flor vai se abrindo aos poucos.
- Pode ser para uma dinâmica para amizade como para família ,ou como achar melhor.
-SIGNIFICADO: Nos colocarmos no lugar daquela flor, será que estamos ajudando e abrindo o nosso coração para a sociedade ou para família e amigos.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

PASTORAL DA MÚSICA COMEMORA DIA DO MÚSICO

O Coordenador da Pastoral da Música, Geraldo Tavares, articulou uma programação diferente para comemorar o Dia do Músico. Todos os integrantes da pastoral se reuniram no restaurante José de Castro e aproveitaram o momento para descontração, ao som de muita música, bolo comemorativo e sorteio de presentes. Parabéns a todos os integrantes da Pastoral da Música da Paróquia Sant'Ana.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

CONHEÇA A HISTÓRIA DA SANTA QUE SE TORNOU PADROEIRA DA MÚSICA

Fonte: Canção Nova
 

Certa vez, o cardeal brasileiro dom Paulo Evaristo Arns assim definiu a arte musical: "A música, que eleva a palavra e o sentimento até a sua última expressão humana, interpreta o nosso coração e nos une ao Deus de toda beleza e bondade". Podemos dizer que, na verdade, com suas palavras ele nos traduziu a vida da mártir santa Cecília.

A sua vida foi música pura, cuja letra se tornou uma tradição cristã e cujos mistérios até hoje elevam os sentimentos de nossa alma a Deus. Era de família romana pagã, nobre, rica e influente. Estudiosa, adorava estudar música, principalmente a sacra, filosofia e o Evangelho. Desde a infância era muito religiosa e, por decisão própria, afastou-se dos prazeres da vida da Corte, para ser esposa de Cristo, pelo voto secreto de virgindade. Os pais, acreditando que ela mudaria de idéia, acertaram seu casamento com Valeriano, também da nobreza romana. Ao receber a triste notícia, Cecília rezou pedindo proteção do seu anjo da guarda, de Maria e de Deus, para não romper com o voto.

Após as núpcias, Cecília contou ao marido que era cristã e do seu compromisso de castidade. Disse, ainda, que para isso estava sob a guarda de um anjo. Valeriano ficou comovido com a sinceridade da esposa e prometeu também proteger sua pureza. Mas para isso queria ver tal anjo. Ela o aconselhou a visitar o papa Urbano, que, devido à perseguição, estava refugiado nas catacumbas. O jovem esposo foi acompanhado de seu irmão Tibúrcio, ficou sabendo que antes era preciso acreditar na Palavra. Os dois ouviram a longa pregação e, no final, converteram-se e foram batizados. Valeriano cumpriu a promessa. Depois, um dia, ao chegar em casa, viu Cecília rezando e, ao seu lado, o anjo da guarda.

Entretanto a denúncia de que Cecília era cristã e da conversão do marido e do cunhado chegou às autoridades romanas. Os três foram presos, ela em sua casa, os dois, quando ajudavam a sepultar os corpos dos mártires nas catacumbas. Julgados, recusaram-se a renegar a fé e foram decapitados. Primeiro, Valeriano e Turíbio, por último, Cecília.

O prefeito de Roma falou com ela em consideração às famílias ilustres a que pertenciam, e exigiu que abandonassem a religião, sob pena de morte. Como Cecília se negou, foi colocada no próprio balneário do seu palacete, para morrer asfixiada pelos vapores. Mas saiu ilesa. Então foi tentada a decapitação. O carrasco a golpeou três vezes e, mesmo assim, sua cabeça permaneceu ligada ao corpo. Mortalmente ferida, ficou no chão três dias, durante os quais animou os cristãos que foram vê-la a não renegarem a fé. Os soldados pagãos que presenciaram tudo se converteram.

O seu corpo foi enterrado nas catacumbas romanas. Mais tarde, devido às sucessivas invasões ocorridas em Roma, as relíquias de vários mártires sepultadas lá foram trasladadas para inúmeras igrejas. As suas, entretanto, permaneceram perdidas naquelas ruínas por muitos séculos. Mas no terreno do seu antigo palácio foi construída a igreja de Santa Cecília, onde era celebrada a sua memória no dia 22 de novembro já no século VI.

Entre os anos 817 e 824, o papa Pascoal I teve uma visão de santa Cecília e o seu caixão foi encontrado e aberto. E constatou-se, então, que seu corpo permanecera intacto. Depois, foi fechado e colocado numa urna de mármore sob o altar daquela igreja dedicada a ela. Outros séculos se passaram. Em 1559, o cardeal Sfondrati ordenou nova abertura do esquife e viu-se que o corpo permanecia da mesma forma.

A devoção à sua santidade avançou pelos séculos sempre acompanhada de incontáveis milagres. Santa Cecília é uma das mais veneradas pelos fiéis cristãos, do Ocidente e do Oriente, na sua tradicional festa do dia 22 de novembro. O seu nome vem citado no cânon da missa e desde o século XV é celebrada como padroeira da música e do canto sacro.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

APOSTOLADO DA ORAÇÃO COMEMORA 30 ANOS DE FUNDAÇÃO NA PARÓQUIA SANT'ANA


Na manhã e tarde do dia 18 de novembro, no Centro de Formação Padre Jordan, foi comemorado o aniversário de 30 anos de fundação do Apostolado da Oração na Paróquia Sant'Ana. 

A festa foi permeada de cantos, reflexões e orações. Muitas apostolenses se fizeram presentes para prestigiar o evento. O pároco Padre Álvaro, sempre presente e disponível, fez seu pronunciamento agradecendo a todos os membros do Apostolado da Oração que se colocam a serviço de Deus e do próximo. É uma alegria e uma honra para a Paróquia acolher esse movimento que é uma coluna da Igreja.

A animação ficou por conta de intregrantes da Pastoral da Música e do exímio sanfoneiro de Duque Bacelar, Sr. Zequinha e do seu companheiro percursionista, Sr. João.

Na parte da tarde, todos foram convidados a cantar os parabéns e provar do saboroso bolo. Para finalizar, Padre Álvaro deu bênção final e todos se dirigiram para a Igreja Matriz onde foi celebrada a Missa em Ação de Graças, presidida pelo Padre Antonio de Pádua.


PRESIDIRAM O APOSTOLADO DA ORAÇÃO - MARIAZINHA, JESUS PEREIRA, ANGÉLICA, JESUS SILVA E NEUZA - ATUAL PRESIDENTE DEUZUITA.
MOMENTO DAS PREMIAÇÕES PELO RECONHECIMENTO DO TRABALHO NO APOSTOLADO DA ORAÇÃO
PRONUNCIAMENTO NEUZA LIMA
PRONUNCIAMENTO JESUS PEREIRA
BOLO EM COMEMORAÇÃO AOS 30 ANOS DE FUNDAÇÃO DO APOSTOLADO DA ORAÇÃO

HORA DA VALSA - PADRE ÁLVARO E DONA MARIAZINHA
HORA DA VALSA - IRMÃO E D. MARIA
JOANA FERNANDES NO COMANDO DO BOLO

APOSTELENSES
SANTA MISSA PRESIDIDA PELO PADRE ANTONIO DE PÁDUA