ACÓLITOS DA PARÓQUIA SANT'ANA - COORDENAÇÃO CARLOS DANIEL

ACÓLITOS DA PARÓQUIA SANT'ANA - COORDENAÇÃO CARLOS DANIEL

PAPA FRANCISCO

PAPA FRANCISCO

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA - Clique na imagem

DIRETOR PROVINCIAL SALVATORIANO

DIRETOR PROVINCIAL SALVATORIANO
Pe. Álvaro Macagnan

sábado, 15 de abril de 2017

MENSAGEM DE PÁSCOA DO BISPO DIOCESANO - DOM JOSÉ VALDECI



Diocese de Brejo - MA
Mensagem de Páscoa - 2017

“Ide depressa contar aos discípulos que ele ressuscitou dos mortos e que vai à vossa frente para a Galileia” (Mt 28, 7).


Caríssimos irmãos e irmãs,


A certeza da ressurreição, nos dar força e coragem para que no amanhecer como as bravas mulheres, tenhamos a disposição de irmos aos sepulcros da nossa história de dor, sofrimento, negação de direitos dos empobrecidos, violência, injustiça, corrupção e outros. 

A presença de Deus nos faz remover pedras e obstáculos que hoje impedem nosso povo de viver e ao mesmo tempo perceber que a ressurreição manifestada em nosso empenho e solidariedade é capaz de fazer tremer e ficar como mortos os guardas do sepulcro (sistema de morte). Quem são hoje? e onde estão?. Precisamos está conscientes para que a voz de Deus que ressoou às mulheres esteja presente em nossas vidas e possamos perceber o que Ele nos diz: “não tenhais medo! sei que procurais Jesus, que foi crucificado”. Nossa atitude de cristãos deve nos levar a perceber os crucificados de hoje: povos originais (indígenas) quilombolas, pescadores e pescadoras, povo cigano, idosos, nossos jovens, mulheres, crianças, sertanejos e tantas outros e outras que são ferozmente crucificados (as), agredidos (as) pelos guardas do sepulcro (sistema de morte).

A clareza da ressurreição é percebida na vivência do amor e solidariedade para com nossos irmãos e irmãs na resistência daqueles e daquelas que incansavelmente não se deixam abater pelo sistema que agride, tira vidas de irmãos e irmãs. Percebemos a ressurreição quando nos empenhamos para assegurar nossos direitos, quando nos encorajamos e temos a firmeza de dizer não às reformas que assaltam os direitos dos empobrecidos e eliminam vidas. Percebemos a ressurreição quando nos deixamos impulsionar pelo espírito do criador e lutamos pelo cuidado para com os biomas brasileiros e a preservação da vida zelando pela casa comum que é de todos nós. Percebemos a ressurreição quando apoiamos a luta por território das comunidades tradicionais, por exemplo, apoio ao abaixo-assinado do projeto de lei de iniciativa popular para o reconhecimento, proteção e garantia do direito ao território das comunidades tradicionais pesqueiras gesto concreto da Campanha da Fraternidade 2017. 

Jesus Cristo não está no sepulcro, Ressuscitou! e sua ressurreição nos impulsiona para sermos uma igreja em estado permanente de missão. É Ele que vai à nossa frente para as Galileias de hoje que é aqui no Baixo Parnaíba, no Maranhão no Brasil e em todo o mundo. Eis o convite para todos e todas: “Não tenhais medo. Ide anunciar aos meus irmãos que se dirijam para a Galiléia, lá eles me verão” (Mt 28,10). 

 Como nos diz o papa Francisco: “saiamos, saiamos para oferecer a todos a vida de Jesus Cristo... prefiro uma igreja acidentada, ferida e enlameada por ter saído pelas estradas, a uma igreja enferma pelo fechamento e a comodidade de se agarrar às próprias seguranças” (EG 49). 

Alimentemos a esperança no Cristo Ressuscitado para irmos “às periferias existenciais e geográficas, lá é a Galileia, lá encontraremos o Cristo”.


Com as bênçãos do Cristo Ressuscitado. Feliz Páscoa!

Dom José Valdeci Santos Mendes – bispo diocesano

Nenhum comentário:

Postar um comentário