PADRE JAMES E MINISTROS

PADRE JAMES E MINISTROS

PADRE JAMES E ACÓLITOS

PADRE JAMES E ACÓLITOS

PAPA FRANCISCO

PAPA FRANCISCO

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA - Clique na imagem

DIRETOR PROVINCIAL SALVATORIANO

DIRETOR PROVINCIAL SALVATORIANO
Pe. Álvaro Macagnan

terça-feira, 22 de abril de 2014

MENSAGEM DE PÁSCOA DO BISPO DIOCESANO DOM JOSÉ VALDECI

 
 
 
Diocese de Brejo - MA
                                                       
           Ressurreição, vitória da vida sobre a morte!

 
Caríssimos padres, religiosos, religiosas, leigos, leigas e seminaristas,

Cada ano fazemos a experiência da Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo. Isso exige de nós seguir seus passos, assumir a missão e nos comprometermos com a vida como discípulos missionários e discípulas missionárias. Esse compromisso nos motiva na compreensão da força do evangelho que nos impulsiona para um encontro com Cristo. Onde encontramos com ele? Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro, lugar dos mortos, onde não há perspectiva de vida, porém, a presença do anjo de Deus cria novas esperanças. Aquele lugar, “sepulcro,” não representa mais a morte, mas um lugar onde a vida venceu os obstáculos.

Deus quer nos libertar das situações de morte existentes na nossa região do Baixo Parnaíba: negação dos direitos dos pobres e marginalizados, salários indignos, casos onde o salário mínimo é dividido entre três ou mais funcionários, negação dos direitos das empregadas domésticas, dos nossos idosos e idosas, trabalhadores e trabalhadoras que são explorados e exploradas.

Ainda é presente na nossa diocese situações em que muitos pais de família e grande parte da juventude são forçados a buscarem melhores condições de vida em outras regiões e muitas vezes acabam se submetendo ao trabalho escravo por não terem perspectiva de trabalho em seus municípios. Preocupa-nos muito as nossas crianças e adolescentes que são vítimas da violência sexual, os trabalhadores e trabalhadoras do campo que continuam sofrendo constantemente sem terra para trabalhar e quando a possuem, falta apoio digno para se manter e produzir. Constatamos que os pescadores e pescadoras, marisqueiros e marisqueiras sofrem pela ausência dos seus direitos; as comunidades quilombolas são prejudicadas com a paralisação do estado em relação à demarcação dos seus territórios, a degradação do meio ambiente provoca o desequilíbrio da natureza. Esses e tantos outros sinais de morte são visíveis no nosso meio.  Porém, a Palavra de Deus continua ressoando em nossos corações: “não tenhais medo! Sei que procurais Jesus crucificado” (Mt 28,5).

Esta disponibilidade que tiveram as mulheres, as primeiras discípulas do ressuscitado, deve nos impulsionar para irmos ao encontro dos explorados e exploradas, marginalizados e marginalizadas que são os crucificados de hoje. O nosso empenho e testemunho devem nos levar a um compromisso constante de apoio e solidariedade para com nossos irmãos e irmãs. Esse deve ser um passo para sermos discípulos missionários e discípulas missionárias. A certeza da ressurreição nos impulsiona para percebermos os sinais de vida em nosso meio como: formação dos leigos e leigas, Santas Missões Populares, articulação das pastorais sociais, organizações parceiras empenhada na defesa da vida e dos direitos, empenho para fazer acontecer a Romaria da Terra e das Águas, compromisso da juventude com as suas organizações, disponibilidade dos padres, religiosos, religiosas, comunidades, pastorais e movimentos para irem ao encontro dos nossos irmãos e irmãs.

 A clareza de que a vida venceu a morte nos dar a garantia para anunciar e testemunhar o Cristo Ressuscitado “Ide depressa contar aos discípulos que ele ressuscitou dos mortos e que vai à vossa frente para a Galileia. Lá vós o vereis” (MT 28,7). A Galileia do tempo de Jesus era lugar desacreditado e marginalizado,  onde estão as galileias aqui no Baixo Parnaíba?  Assim como Jesus vai ao encontro das mulheres, Ele vem ao nosso encontro e nos diz: “alegrai-vos!” É essa alegria do evangelho que devemos anunciar como igreja no Baixo Parnaíba. Somos chamados a sermos sempre mais uma “igreja em estado permanente de missão” impulsionados pela força do ressuscitado nos colocando a serviço da “vida plena para todos”. Que todos nós, crianças, adolescentes, jovens e adultos possamos seguir o mandato de Jesus Ressuscitado “não tenhais medo. Ide anunciar aos meus irmãos que se dirijam para a Galiléia. Lá eles me verão” (MT 28,10). Que o Cristo vencedor da morte seja vossa força e vossa esperança.

Com as bênçãos do Ressuscitado!

Dom José Vadeci Santos Mendes
Bispo Diocesano

Nenhum comentário:

Postar um comentário